Sindicato quer insalubridade de 40% para área de enfermagem

O SINSESPJA – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Jacutinga/MG, através de seu presidente, Marcílio Carlos Ferreira, encaminhou uma solicitação ao Prefeito Melquíades Araújo, reivindicando que os profissionais de enfermagem recebam insalubridade em grau máximo, ou seja, que recebam acréscimo de 40% no salário no período da pandemia.

De acordo com o presidente da entidade, o requerimento já foi encaminhado ao Prefeito através de e-mails, e vem apoiar a iniciativa dos órgãos de enfermagem como o Coren/MG, ABEN/MG, ASTHEMG, SEEMG, SINDIBEL, Sind-Saúde MG, e SINDEESS, que firmaram uma parceria histórica, que vai ampliar a luta para a conquista do pagamento da insalubridade máxima para todos os profissionais de enfermagem em Minas Gerais, que estão batalhando para salvar as vidas de pessoas infectadas pelo coronavírus (COVID-19), colocando inclusive suas próprias vidas em risco.

Ainda de acordo com Marcílio, todas as entidades de classe de enfermagem estão adotando esta mesma postura, de enviar correspondência aos governantes para que paguem a insalubridade em seu grau máximo, como forma de valorizar profissionais de enfermagem e honrarem aqueles que estão colocando as suas vidas em risco para socorrer a nossa população.

E diante da postura e do profissionalismo destes profissionais nada mais justo que se pague a insalubridade de 40% sobre o salário base tanto dos enfermeiros quanto dos técnicos de enfermagem, que vem atuando no combate ao vírus.

Para o SINSESPJA o pagamento da insalubridade aos profissionais de enfermagem visa ainda a melhoria das condições financeiras daqueles que estão diretamente ligados a essa luta de combate a pandemia do Covid-19, que não arregram as suas responsabilidades profissionais, ficando na linha de frente, assumindo com afinco o oficio atribuído aos profissionais que atuam na enfermagem, cuidando de pacientes e zelando pelas suas vidas.

Marcílio disse também que o pedido encaminhado ao Prefeito Melquíades Araújo pelo Sindicato solicita um estudo afim de que o percentual máximo de 40% de insalubridade seja pago à todos profissionais de enfermagem, tanto enfermeiros e técnicos quanto aos auxiliares, antecipando ao pleiteado das entidades de classe em Minas Gerais, como forma explicita de valorização destes profissionais pela Prefeitura de Jacutinga.

Marcílio se diz esperançoso com a concessão do benefício, pois o Prefeito tem apoiado a população neste momento difícil e não deverá agir de forma diferente com os colaboradores que se dedicam a salvar a vida dos jacutinguenses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *