Alegação do Município seria que a associação estaria irregular e o Corpo de Bombeiros Militar questionam a sua atuação

A unidade mais próxima de Jacutinga do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais fica em Pouso Alegre, cerca de 80 quilômetros de nossa cidade, e exige uma viagem de pelo menos uma hora e meia em razão da MG-290 ser muito movimentada, com um fluxo pesado de caminhões e poucos pontos de ultrapassagem – pelo que não é por acaso que a estrada é chamada de Rodovia da morte. Por isto, Jacutinga fica órfã quando precisa de auxílio em alguma ocorrência que dependa dos bombeiros militares de Pouso Alegre, já que a resposta é sempre a mesma: que não tem pessoal nem disponibilidade para atender a cidade de Jacutinga.

Por sorte dos jacutinguenses um grupo de socorristas se uniu e criaram a Associação dos Bombeiros Civis de Jacutinga Minas Gerais, que tem atendido as necessidades da nossa população de forma voluntária e com qualificação intocável, vez que todos têm a formação técnica para atender esta demanda.

Estes verdadeiros heróis, vem atendendo nossa comunidade já ha alguns anos, contando só com o auxilio de alguns cidadãos de bem que reconhecem o empenho e a dedicação deste grupo, e fazem pequenas doações para a manutenção dos serviços que tem sido prestados à população.

A Prefeitura até então só cedeu pra associação o prédio do portal da cidade na Marechal Deodoro que estava ocioso e a mercê de vândalos, já que a Prefeitura cancelou o contrato do serviço de câmeras que existia nos seus prédios e até então não substituiu o outro.

E na última quarta-feira, a Prefeitura veio solicitar a devolução do prédio num prazo de 30 dias, prejudicando assim a associação que vem cumprindo de forma voluntária e gratuita a obrigação que é do poder público.

A alegação é que os Bombeiros Militares estariam ameaçando a Prefeitura de multa pela cessão do prédio, pela associação estar irregular perante os bombeiros, o que não é verdade, uma vez que a Associação dos Bombeiros Civis de Jacutinga Minas Gerais está filiada a Volunterminas – Associação dos Bombeiros Voluntários e Equipes de Resgate de Minas Gerais, que por sua vez firmou um termo de compromisso com o Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais, pelo qual o prazo para adequação as exigências dos Bombeiros Militares passou a exigência para março de 2022 e, portanto, não há que se falar em irregularidade da associação de bombeiros de Jacutinga.

Portanto, já foi interposto recurso à autuação que os Bombeiros Militares aplicaram aos bombeiros civis de Jacutinga, que põe por terra a autuação abusiva lavrada pelos Bombeiros Militares de Pouso Alegre.

Assim, não se justifica a Prefeitura adotar tal postura, ainda mais pelo fato do Município ter diversos advogados pagos pela Prefeitura, e não precisa ser um especialista para avaliar o caso e ver que a associação local dos bombeiros está com a razão, não se justificando atrapalhar sua atuação por conflitos de vaidade ou de competência.

Assim, a medida rigorosa adotada pela Prefeitura é injustificável, até porque, agindo desta forma terão mais um ponto ocioso a ser monitorado para evitar vândalos, pois o prédio sempre permaneceu fechado, ocioso e sendo alvo de vândalos.

Por sorte a população jacutinguense se mostra solidária e justa em acolher os injustiçados e eles receberam até apoio com a disponibilidade de outro espaço para que eles continuem atuando na cidade, porém o custo político vai ser cobrado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *