Segundo a Receita a empresa só foi criada em janeiro deste ano

Segundo ata de registro de preços n.º 37/2020 publicada no Diário Oficial do Município, a Prefeitura contratou para a Secretaria de Obras uma empresa para executar filmagens aéreas através de drones por R$ 200 mil ao ano, ou seja, o valor de R$ 547,94 por dia, e isso se considerarmos os sábados, domingos e feriados com trabalhados.

A empresa contratada foi Priscila Ramalho Mello 07083184678, CNPJ n.º 36.062.568/0001-84, com sede, segundo a Receita, na Rua Francisco Bevilaqua, n.º 250, no Flamboyant em Jacutinga, e que também segundo o site da Receita Federal foi criada em 20/01/2020, portanto, a menos de seis meses, e já conseguiu um contrato tão alto com a administração pública.

O grande questionamento é qual seria o interesse da Secretaria de Obras da Prefeitura de Jacutinga em imagens aéreas, e qual volume destas filmagens para custar tanto ao Município?

Vale dizer que através de uma pesquisa rápida pela internet constatamos que um drone profissional para filmagens e fotos pode custar de R$ 4 mil a R$ 15 mil, e pode ser facilmente operado, sem a necessidade de ter um profissional para isso. É certo que um profissional sempre consegue um resultado melhor em qualquer área, mas para uma imagem que atenda a Secretaria de Obras as imagens full hd dos equipamentos cotados seriam mais que o suficiente, já que vivemos um período de incertezas na economia em razão da pandemia que assola o País.

É bom lembrar que os servidores municipais de Jacutinga são qualificados e possuem tino profissional para operar um drone para execução destes serviços de filmagens e fotos facilmente; até porque, a nova tecnologia traz embarcados muitos recursos para facilitar a vida dos usuários, o que geraria uma enorme economia aos cofres públicos garantindo recursos que seriam muito bem vinda para solução de questões sociais que demandam recursos, como os reflexos econômicos trazidos pela pandemia às famílias carentes de Jacutinga.

E pensando nestes reflexos da Pandemia, onde muitas famílias carentes estão enfrentando dificuldades para prover a sobrevivência dos filhos, os R$ 200 mil gastos ao ano neste contrato daria para comprar no Supermercado Antonelli quase 2535 cestas básicas (R$ 78,90 cada), beneficiando centenas de famílias carentes e solucionando em grande parte a questão social decorrente do covid -9 em nossa cidade.

Mas para isto, teria que priorizar as necessidades da população acima da imagem da atual administração, o que não vem ocorrendo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *