Nova Vida Em Cristo,
Preocupação.
Pastora Rosa Grassi

Portanto eu lhes digo: Não se preocupem com a própria vida, quanto ao que comer ou beber; nem com seu próprio corpo, quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais importante do que a comida, e o corpo mais importante do que a roupa? Observem as aves do céu: não semeiam nem colhem, nem armazenam em celeiros, contudo, o Pai celestial as alimenta. Não tem vocês mais valor do que elas? Quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que seja em sua vida? Mt.6:25-27.

A preocupação é provavelmente a força negativa mais comum que enfrentamos; quando damos conta estamos preocupados com algo. Muitos, no entanto, não se dão conta do quanto ela pode ser nociva.
A preocupação opõe-se à fé. Ela faz com que duvidemos, fiquemos amedrontados e tiramos os olhos de Jesus, olhando e potencializando os problemas. Ela nos impede de agir com fé e pode nos influenciar nossas atitudes, destrói nossa visão espiritual.
Se permitirmos que a preocupação governe a nossa mente, não receberemos as promessas descritas na Palavra de Deus, ela faz com que aquilo que ouvimos, vemos e sentimos, conduza nossas atitudes e decisões.
Assim deixamos de caminhar pela fé, na dependência de Deus, o desagradamos e o poder Divino deixará de agir a nosso favor.
No texto acima, Jesus ordena que abandonemos as preocupações. Ele insiste em nos lembrar que o Pai é fiel em suprir todas as nossas necessidades. Jesus garante que o Pai sabe de tudo o que precisamos, antes mesmo de nós sabermos. Portanto, não há motivos de preocupação.
Jesus explica que existe um propósito mais elevado, o qual devemos buscar; o seu Reino e sua justiça. Agindo assim atrairemos bençãos sobre nossas vidas e veremos soluções para os problemas. Isso se dá pela intervenção sobrenatural de Deus a nosso favor.
Quando nosso principal objetivo é buscar o Reino de Deus, então as preocupações deixam de controlar nossas vidas. Assim o Senhor tem liberdade de agir e suprir todas as nossas necessidades.
A preocupação é uma ideia fixa e antecipada que perturba a mente, uma inquietação. Quando agimos assim não agradamos a Deus.
Certa vez, foi Jesus se hospedar na casa de Marta e Maria, Maria assentou-se aos seus pés para ouvir seus ensinamentos. Lucas 10:40 a 42. Marta agitava-se inquieta de um lado para o outro, ocupada em seus serviços. Ela disse: Senhor, não te importas que minha irmã me deixe a servir sozinha? Ordena, pois que venha me ajudar. Vr 41. Respondeu-lhe o Senhor: Marta! Marta! Andas inquieta e te preocupas com muitas coisas. Vr42. Entretanto pouco é necessário, ou mesmo uma só coisa. Maria, pois, escolheu a boa parte e essa não lhe será tirada.
Como será que temos agido? Como Marta? Ou Maria? Lembre-se Marta estava preocupada com as coisas temporais, passageiras. Maria, porém, buscava o que é eterno.
Deus abençoe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *