Pastora Rosa Grassi,

Pai! Meu Pai, Nosso Pai!

Temos visto como Jesus falou sobre sua comunhão íntima com o Pai. Ele é o criador do mundo, de todo universo, o qual continua, em sua soberania e providência, a sustentar e cuidar de todas as coisas. Sua vontade soberana deve ser obedecida por todos, inclusive por Jesus. Mt 26.39. Adiantando-se um pouco se prostrou sobre o seu rosto orando dizendo: Meu Pai; se possível passe de mim esse cálice! Todavia, não seja como eu quero, e sim como tu queres. O cálice era todo o sofrimento envolvido no fato de o perfeito filho de Deus, assumir sobre si, o pecado da humanidade, inclusive sua temporária separação do Pai. Jesus, mas ensinou sobre a paternidade de Deus sobre todo aquele que crer em seu Nome, que passam a ser filhos de Deus.
Essa verdade fica bem clara na primeira frase da oração do Senhor, quando disse: “Pai nosso que estais nos céus”. Mt 6.9. Foi-nos possível conhecer o Pai por meio de Cristo. Ele veio para revelar o pai e sua vontade, e nos conduzir a Deus Jo14.6e7. Respondeu-lhes Jesus: Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim. Se vós me tivésseis conhecido, conheceríeis também a meu Pai, desde agora o conheceis e o tendes visto.
Deus nosso pai, tem tanto interesse pelas necessidades de seus filhos, em todas as áreas, inclusive, comida e bebida; que nos ensinou a não nos preocuparmos com o dia de amanhã. Ele é um Pai provedor.
Em toda história narrada na Bíblia, nos momentos de fome, escassez, o Pai de amor provia sustento aos filhos. Quando o povo hebreu sai do Egito e caminha quarenta anos no deserto; não lhes faltou nada, suas roupas não envelheceram, nem os sapatos em seus pés. Os protegia do calor do dia com uma nuvem, e de noite com uma coluna de fogo os aquecia. Enviou o pão do céu, o “Maná”, até que entrassem na terra prometida. Abriu o mar, e os fez passar a pé enxuto adiante de Faraó e seu exército; fez sair água da rocha. Destruiu nações poderosas, destronou reis, pois tinha uma Aliança com Abraão e sua descendência. O Senhor nos ensina a buscar o Seu Reino e Sua Justiça, e as demais coisas nos serão acrescentadas. A entrada e a possessão desse Reino, e o direito a todas as suas bênçãos são limitadas aos que reconhecem Jesus como Senhor pedir perdão a Deus dos seus pecados, e se comprometem a servi-lo de todo coração.
Lembrem-se, Ele não é somente Deus, Ele é também Pai, e quando nos referimos a pai, pensamos em: proteção, provisão, amor, mas também em disciplina, pois o pai que ama disciplina seus filhos.
Ele nos ama, e provou isso, enviando seu Filho amado, para morrer na cruz, se fazendo maldito, para que através do Seu sacrifício, fôssemos reconciliados com o Pai. Esta Salvação e paternidade estão disponíveis ao que crer. VOCÊ CRÊ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *