Pr. Emerson Silva Fernandes,

 

No capítulo 5 do evangelho de Mateus, o qual trata do Sermão do Monte onde o Senhor Jesus ensinou a multidão e também seus discípulos, à partir do versículo 13 Jesus fala de ser sal e luz, ensinando que para ser sal é preciso não ser insípido, pois se não fizer o papel de dar sabor por onde passa, só servirá para ser pisado pelos homens, e por consequência, pelo diabo.
De igual forma no versículo seguinte o Senhor Jesus ensina que a luz foi feita para ficar no velador, no alto, e não debaixo da cama. Ele diz que não se pode esconder uma cidade iluminada; ou seja, por onde as pessoas que são luz passam a sua presença é notada de longe, pois a glória de Deus irá resplandecer sobre a sua vida.
Ao analisarmos o contexto histórico da época, vemos que o sal tinha inúmeras utilidades, dentre as quais dar sabor aos alimentos, conservar aliment

 

os como ainda hoje acontece com o bacalhau e com a carne seca ou carne de sol, bem popular nas regiões onde ainda não se tem os recursos tecnológicos como geladeira e freezers.
O sal também tinha as suas características terapêuticas, já que através da salmoura e dos banhos e escalda-pés se obtinha resultados satisfatórios no tratamento de doenças, técnicas que ainda hoje são bastante utilizados, especialmente por pessoas mais idosas ou aqueles que têm conhecimento destas técnicas terapêuticas.
Entendo que Jesus queria neste contesto nos alertar que para sermos sal, teríamos que exercer os mesmos efeitos do sal na vida das pessoas, para que possamos ser cura para os enfermos, sejam de enfermidades físicas, psíquicas ou mesmo espiritual ou emocional, pois o próprio Jesus nos diz no evangelho de Marcos 16:15-18: “…Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado. E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas; Pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfer­mos, e os curarão.”
Assim, Ele nos entregou a autoridade e o poder para que cumpramos o Seu chamado, e a timidez e o medo não pode nos deter, cabendo a cada um compreender quem é em Deus e quem é o Senhor nas suas vidas, para que exerçamos com excelência o Seu chamado.
De igual forma, temos que ser luz, para iluminarmos o caminho os demais que vem após nós. Não podemos ficar indiferentes a tudo que tem ocorrido à nossa volta. Precisamos sinalizar de acordo com a Palavra de Deus, para que todos sigam o caminho correto e não se deixem enganar pelas mentiras que têm sido pregadas até em algumas igrejas, pois Jesus é a verdade, e cabe a cada um dos Filhos de Deus revelar esta verdade por onde passa.
E se Deus nos concedeu o poder necessário para sermos sal e luz, se nos calarmos seremos cobrados pelo Senhor, já que em Lucas 12:48 Jesus nos fala que “…E, a qualquer que muito for dado, muito se lhe pedirá, e ao que muito se lhe confiou, muito mais se lhe pedirá.” Então seja sal e luz, fazendo a diferença onde estiver.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *