São centenas de cestas paradas enquanto população padece

A empresa Verallia, que recentemente instalou uma planta para fabricação de embalagens de vidro em Jacutinga, gerando centenas de empregos para população mais uma vez veio beneficiar os jacutinguenses, na superação dos danos decorrentes da pandemia.

O covid-19 gerou reflexos econômicos por todo o mundo, e a população carente foi a que mais sofreu com esta pandemia, pois muitos perderam seus empregos e outros estão impedidos de trabalhar, ficando impedidos de prover o sustento de suas famílias.

Pensando em auxiliar esta parcela da população jacutinguense que mais sofreu com a Pandemia a Verallia fez a doação de mais de mil cestas básicas para Jacutinga, através do Asilo São Vicente de Paulo e ABAJ – Associação Beneficente Amigos de Jacutinga, pertencente a primeira dama de Jacutinga, Alita Araújo, como foi confirmado pela Assessoria de Comunicação da Verallia ao A Voz de Jacutinga.

Fomos informados que o Asilo São Vicente de Paulo recebeu da Verallia 250 cestas, que foram entregues pela Sra. Márcia Delfino Moraes, que representou a empresa na entrega das cestas. Assim, por uma matemática rápida constatamos que a ABAJ recebeu no mínimo 750 cestas básicas que estão guardadas na Secretaria Municipal de Educação, enquanto a sociedade local se mobiliza através das redes sociais para socorrer as famílias mais necessitadas.

Duas perguntas ficam diante dos fatos levantados junto da Verallia: se estas cestas foram doadas para a ABAJ que é particular, o que as cestas estão fazendo na Secretaria de Educação? O fato de a entidade ser da primeira dama, lhe dá o direito de usar do patrimônio público como se dela fosse? A legislação afirma que não.

Outra questão a ser esclarecida é porque das cestas ainda não terem sido distribuídas à população carente, já que o momento crítico tem sido o agora, pois muitas famílias não tem o que comer, enquanto as cestas ficam guardadas na Secretaria de Educação.

Pelas redes sociais já tem muitas pessoas questionando o porquê destas centenas de cestas ainda não terem sido distribuídas, já que as eleições se aproximam, a distribuição durante a campanha eleitoral poderá caracterizar compra de votos e abuso de poder econômico, ainda mais sendo esta associação da primeira dama e o prefeito ser pré-candidato à Prefeito.

Não bastasse as dúvidas e suspeita de uso indevido das cestas básicas nas eleições, sendo a Verallia uma empresa séria e transparente, tais fatos podem levar a empresa a deixar de ajudar a população que tanto necessita deste auxílio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *